Planejamento estratégico para alinhamento dos projetos de pesquisa marcam o ano da APTA Regional

Planejamento. Esta é uma das palavras que definem o ano de 2016 para as unidades regionais de pesquisa ligadas à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). De acordo com o diretor-técnico da APTA Regional, Silvio Tavares, o ano foi marcado pelo planejamento estratégico das atividades, com o objetivo de integrar os trabalhos científicos realizados nas 28 unidades com os projetos desenvolvidos pelos seis institutos de pesquisa ligados à Agência. As unidades regionais aumentaram sua captação de recursos oriundos da prestação de serviço e comercialização de insumos de pesquisa, uma forma de transferência de tecnologia.

Em 2016, foram realizados os Fóruns APTA Regional de Pesquisa, com apresentação dos pesquisadores das unidades regionais sobre seus vínculos institucionais, áreas de atuação e linhas de pesquisas, para os seis institutos de pesquisa da Agência. Ao todo, foram realizados 11 eventos. “A ideia é integrar os projetos de pesquisa para que eles tenham mais força. Queremos que os pesquisadores de uma mesma área formem grupos de trabalho com os institutos”, afirma Tavares.

A APTA Regional também implantou neste ano um relatório de atividades para acompanhar e direcionar os trabalhos realizados por todos os pesquisadores em cada unidade de pesquisa. “Esta é outra ação de integração dos trabalhos institucionais”, explica o diretor.

O planejamento estratégico também permitiu o aumento de 76% na captação de recursos via Fundo Especial de Despesas (FED), com a venda de insumos das pesquisas e prestação de serviços. Em 2016, esse valor deve chegar a R$ 3 milhões.

“A venda desses insumos é também uma forma de transferência de tecnologia. Um exemplo, é a venda de ovos embrionados de trutas para truticultores de todo Brasil, realizada pela Unidade de Pesquisa de Campos do Jordão da APTA. Esse insumo é importante para a manutenção das atividades dos produtores rurais”, explica.

Outro exemplo é a comercialização de abelhas rainhas para apicultores de todo o Brasil. A APTA Regional é a única instituição pública do País que realiza esse trabalho. Para as condições paulistas, a troca periódica das abelhas rainhas representa de 15 a 30 kg de mel a mais por colmeia por ano.

Projetos de pesquisa

Entre os projetos de pesquisa, Tavares destacou os trabalhos realizados na área animal, como o chamado Boi 7.7.7, um sistema de produção de gado de corte desenvolvido pelo Polo Regional de Colina, em que é possível produzir um gado com 21 arrobas em dois anos. No sistema tradicional de produção, são necessários, no mínimo, três anos para atingir 18 arrobas. “Os impactos desta tecnologia estão na produtividade de carne, menor tempo de produção, melhora na qualidade do produto e redução dos impactos ambientais na pecuária de corte”, diz o diretor-técnico.

Ainda na área animal, em 2016 foi concluído projeto de pesquisa em Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) no Polo Regional de Andradina, com a recuperação de 31 hectares de pastagens degradadas. O trabalho teve como resultado a determinação do número de plantas de eucalipto por hectare no sistema de integração, a fim de proporcionar bem-estar animal e produção de carne e madeira. “A pesquisa também mostrou que neste sistema é possível constatar a diferença de sensação térmica em 6ºC, o que proporciona maior bem-estar ao animal e ganhos de produção”, explica Tavares.

Na área vegetal, o Polo Regional de Ribeirão Preto e Polo Regional de Andradina, consolidaram parceria com a Coopercitrus para a implantação de projeto que visa à validação regional de tecnologias para cultivares de soja e milho.

O Polo Regional de Monte Alegre do Sul continuou seus trabalhos iniciados em 2015 em conjunto com o curso técnico de cozinha a Escola Técnica Estadual (Etec) “Professor Camargo Aranha”, em São Paulo. O projeto disponibiliza ingredientes de alta qualidade, desenvolvidos pela APTA, para estudantes e professores testarem suas características gastronômicas. “A ideia é testar produtos como cogumelos frescos e batata de polpa colorida para o mercado gourmet”, diz Tavares.

“A APTA Regional tem a missão de gerar tecnologias direcionadas a todas as regiões paulistas. Esse trabalho é fundamental para aumentar a geração de renda dos produtores, principalmente os pequenos, melhorar a produção e aproximar a pesquisa da população, diretrizes traçadas pelo governador Geraldo Alckmin”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Por Fernanda Domiciano

Notícias por Ano