Pesquisador da APTA apresentará potencial econômico do lambari para petisco na Aquishow 2017

Evento contará com explicações sobre a produção industrial da espécie

O pesquisador da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD) de Pirassununga, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Fábio Sussel, apresentará palestra sobre o potencial econômico do lambari, focando na produção industrial para petisco e apresentando o equipamento inédito que viabiliza esse método, em 30 de maio de 2017, às 11h, em Santa Fé do Sul, interior paulista.

A apresentação contará com informações teóricas e a demonstração da máquina de processamento do lambari, desenvolvida pela APTA, que permitiu a concretização desse novo mercado.

“Sempre se falou sobre o consumo de lambari como petiscos. Porém, o processo de limpeza manual é muito demorado. Uma pessoa consegue limpar 20 kg de lambari por dia. A máquina permite a limpeza de 250 kg por dia”, diz Sussel.

Segundo o pesquisador, o lambari é utilizado, principalmente, para o mercado de iscas vivas na pesca esportiva, porém, há um grande potencial de consumo em forma de petiscos.

“Ao destinarmos parte da atual produção de lambari para petiscos, naturalmente diminuirá a oferta de lambari para isca viva. Com isto, a expectativa é que o preço do lambari aumente, de R$ 0,16 a unidade, para isca viva, para até R$ 0,25. Isso é positivo para o setor, que pode promover um acréscimo na renda dos produtores”, diz o pesquisador.

O convite para ser um dos seis palestrantes do evento surgiu por conta da atuação de Sussel junto ao setor produtivo, além do destaque recebido pelo lambari no Estado de São Paulo, que se tornou o maior produtor da espécie no Brasil. “Voltado para o produtor, serão apresentadas palestras e tendências para o setor produtivo. Além disso, terá exposição de equipamentos, que o produtor poderá comprar para auxiliar na produção”, diz. A Aquishow se consolidou como um dos maiores eventos sobre aquicultura da região Sudeste.

O evento será realizado de 30 de maio a 1º de junho de 2017, na Estância Turística da cidade de Santa Fé do Sul. A cidade é caracterizada como o maior polo aquícola do Estado de São Paulo. A comissão organizadora do evento é composta por Peixe SP – Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União, Prefeitura Municipal de Santa Fé do Sul, Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI)APTAInstituto de Pesca (IP-APTA)Cimdespi, e empresas envolvidas na produção e comercialização de peixes na região.

Máquina de processamento de lambari

A APTA desenvolveu dois equipamentos para retirar as escamas e vísceras de lambaris em poucos minutos, para facilitar o processamento do peixe para venda de petiscos. O objetivo é agregar renda aos produtores com a comercialização de lambari frito. Os equipamentos foram desenvolvidos em parceria com a empresa Branco Máquinas e estão disponíveis no mercado. O depósito de patente foi realizado.

A descamadeira, um equipamento de aço inox que retira as escamas do peixe, tem capacidade para processar 18 kg a cada seis minutos. Após passar por esse processo, o peixe vai para a evisceradora, usada para cortar a barriga e retirar as vísceras.

“O lambari é um produto gourmet, para ser consumido em pequenas porções. Com os novos equipamentos utilizados para limpar o peixe e considerando as características de ciclo curto de produção com alta adaptabilidade a sistemas intensivos de produção, vislumbramos a possibilidade, tanto de criação, quanto de processamento, próximos aos grandes centros urbanos”, diz o pesquisador.

O foco é a utilização dos equipamentos na agricultura familiar, em que pequenos produtores reunidos em associações ou cooperativas venham a processar a produção própria, agregando valor ao lambari produzido. “Médios e grandes produtores de lambari poderão adquirir os equipamentos com recursos próprios e, além da atuação no mercado de isca viva para a pesca esportiva, também poderão ter esta segunda opção de venda”, explica o pesquisador da APTA. 

A comercialização dos produtos está sendo feita pela empresa Branco Máquinas, com sede em Blumenau, Santa Catarina, mas que atende todo o Brasil. A tecnologia está em processo de patente no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, pesquisas como essa são importantes, pois aumentam a eficiência dos produtores. “O trabalho está alinhado ao que nos pede o governador Geraldo Alckmin, de diminuir a distância entre a pesquisa e o usuário, com foco no pequeno produtor”, afirma. 

 

SERVIÇO

Aquishow 2017

Data: De 30 de maio a 1º de junho de 2017.

Horário: A partir das 9h, nos dias 30 e 31 de maio, e a partir das 8h, no dia 1º de junho.

Local: Estância Turística de Santa Fé do Sul.

Endereço: Av. Waldemar Lopes Ferraz, s/n, Santa Fé do Sul – SP.

Por Giulia Losnak (estagiária) e Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

19 2137-8933

Notícias por Ano

Notícias por Polos