APTA realiza um dos principais eventos de amendoim do País

APTA realiza um dos principais eventos de amendoim do País

Pesquisadores do IAC e da APTA Regional vão proferir palestra sobre novo vírus que ataca a cultura

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) realiza, em 26 de fevereiro de 2015, a partir das 8h, o 6º Encontro de Produtores e Dia de Campo de Amendoim, em Pindorama, interior de São Paulo. Considerado um dos principais eventos da cultura no País, o Encontro de Produtores e Dia de Campo é realizado pela APTA, por meio do Polo Regional Centro Norte e do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas. Em 2014, o evento reuniu cerca de 200 participantes, entre produtores rurais e profissionais ligados à cultura do amendoim. Durante o Encontro, serão proferidas palestras sobre temas atuais, demandados pelo setor produtivo, e haverá uma visita ao campo, onde os produtores terão a oportunidade de conhecer de perto as atividades e resultados do programa de melhoramento genético de amendoim, liderado pelo IAC, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.  

O pesquisador do IAC, Ignácio José de Godoy, e o pesquisador da APTA Regional Centro Norte, Marcos Doniseti Michelotto, irão proferir palestras sobre uma nova virose que vem atacando a cultura do amendoim em São Paulo. Ainda não se sabe exatamente a espécie do novo vírus,  que pertence ao grupo “vira-cabeça” e começou a atacar as lavouras com mais intensidade há dois anos. “A causa desse aparecimento ainda não é conhecida, mas pode estar ligada ao clima seco, que afetou a população de tripes, pequenos insetos que vivem nos folíolos e sugam a seiva da planta. Algumas espécies de tripes são transmissoras desse grupo de vírus”, explica Michelotto.  

Segundo ele, ainda não é possível avaliar o impacto econômico, mas o vírus pode afetar significativamente a produção. De acordo com o pesquisador do IAC, algumas medidas podem ser adotadas pelos produtores para evitar a ocorrência, como o plantio mais adensado, em linhas duplas e sobre palhada. Outra opção é escolher variedades mais tolerantes a essa virose.  

Algumas variedades de amendoim desenvolvidas pelo IAC foram enviadas aos Estados Unidos para análise de tolerância ao vírus. A ideia é que os testes indiquem o potencial dos materiais do Instituto em relação à doença. “Além dos testes com variedades, o IAC e a APTA Regional, em colaboração com virologistas e especialistas na identificação de tripes, estão realizando levantamentos nas regiões de produção para identificação da espécie do vírus e dos tripes vetores. Os trabalhos começaram em 2014”, afirma Godoy.

Evento  

 O 6º Encontro de Produtores e Dia de Campo de Amendoim é um dos principais eventos da cultura do amendoim no País. Em 2014, cerca de 200 produtores e pessoas ligadas ao setor participaram do Encontro. Neste ano, são esperadas pelo menos 150 pessoas. Segundo Godoy, o Encontro reúne muitos produtores porque as pesquisas realizadas pelo IAC e APTA Regional têm grande interação com o setor produtivo.  

Neste ano, além das palestras sobre novo vírus que ataca a cultura, serão abordadas as escolhas realizadas pelos produtores em todas as safras, a multiplicidade de fertilizantes foliares e fungicidas, o mercado nacional e internacional de amendoim e as atividades da recém-criada Câmara Setorial de Amendoim. Os participantes poderão ainda conhecer as linhas de trabalho do melhoramento genético e alguns materiais genéticos do IAC em multiplicação, durante visita ao campo. IAC é referência das pesquisas com amendoim O Programa de Melhoramento do IAC em amendoim ampliou sua dinâmica a partir de 2003, parcerias com 11 empresas da cadeia de produção. Em uma década, o Programa registrou dez novas variedades de amendoim para cultivo comercial.

O IAC é referência em pesquisas com amendoim, particularmente na área de melhoramento genético e é responsável pela difusão de sementes aos produtores desde o estabelecimento da cultura no Brasil, por volta de 1950. Os últimos quatro lançamentos de amendoim IAC têm a característica de serem alto oleicos, ou seja, possuem grãos com cerca de 70% a 80% de ácido oleico. O índice é muito alto, comparado aos demais existentes no mercado, que têm 50% desse ácido. Essa característica das variedades IAC grada à indústria indústria, pois permite manter o produto na gôndola por 12 meses com a mesma qualidade, sem rancificar e perder sabor. Isso significa o dobro de prazo de validade alcançado por outros materiais. Para o consumidor, o benefício está na capacidade  do ácido reduzir a taxa de triglicérides, aumentando o bom colesterol.  

Serviço 6º Encontro de Produtores e Dia de Campo de Amendoim

Data: 26/02/2015 Horário: A partir das 8h Local: Polo Regional Centro Norte Endereço: Rodovia Washington Luis, Km 372, Pindorama – SP Mais informações: 17 – 3572-1592 e diadoamendoim@gmail.com  

Texto: Fernanda Domiciano

IAC 505 Amendoim noticiaEdição: Carla Gomes (MTb 28156) Assessoria de Imprensa – APTA

Notícias por Ano

Notícias por Polos