Empresa de ex-aluno da Pós-Graduação do IAC terá apoio do PIPE Fapesp

Empresa de ex aluno da Pós Graduação do IAC terá apoio do PIPE Fapesp

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, por meio do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), fará aporte financeiro de R$ 160 mil para empresa de ex-aluno da Pós-Graduação do Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A partir do apoio da Fapesp, a startup Aeroponica poderá desenvolver um sistema inovador de produção caseira de hortaliças e plantas aromáticas e condimentares. A startup foi selecionada no 4º Ciclo de Análises de 2016 do PIPE. Esta é a primeira empresa criada por alunos de Pós-Graduação do IAC a ser selecionada pelo Programa. O anúncio dos projetos aprovados ocorreu em junho deste ano, no evento de comemoração dos 20 anos do PIPE. Ao todo, 48 projetos foram selecionados.  


O aporte financeiro da Fapesp será usado para demonstração da viabilidade tecnológica do produto em desenvolvimento pela Aeroponica. A primeira fase do projeto tem vigência de agosto de 2017 a abril de 2018. Segundo o ex-aluno da PG-IAC, Alex Humberto Calori, responsável pela empresa, a ideia é o desenvolvimento de um sistema aeropônico portátil para cultivo de plantas em ambientes domésticos. “Este produto ainda não existe no mercado brasileiro. Ele poderá ser usado por qualquer pessoa, mesmo aquelas que nunca cultivaram plantas”, explica.


A aeroponia é uma vertente da hidroponia e consiste no cultivo de plantas sem a necessidade de solo ou substrato. No sistema, as raízes ficam suspensas no ar e a planta é alimentada por nebulização de gotículas de água carregadas de nutrientes.

A proposta do projeto, segundo Calori, surgiu quando ele terminava o curso de Doutorado na Pós-Graduação IAC em Agricultura Tropical e Subtropical.  “Percebi que havia demanda de produtos customizados de hidroponia e aeroponia para ambientes indoor”, conta Calori, que já no período de graduação, atuou como estagiário no Polo Regional de Mococa, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), local que usou para experimentação de seus projetos de Mestrado e Doutorado no IAC, na área de hidroponia.


“O conhecimento obtido na época do estágio na APTA e no Mestrado e Doutorado do IAC contribuíram para consolidar meus conhecimentos em aeroponia e hidroponia, o que é fundamental para o desenvolvimento deste produto inovador”, afirma.

Além do desenvolvimento do produto, a Aeroponica prestará consultoria na implantação de sistemas aeropônicos em todo o Brasil. “A conquista do PIPE demostra a importância do trabalho de capacitação realizado pelos institutos de pesquisa da APTA por meio dos cursos de Pós-Graduação”, afirma Thiago Factor, pesquisador da APTA que acompanhou toda a formação profissional de Calori.

Para Luis Felipe Villani Purquerio, pesquisador do IAC e orientador de Calori no Mestrado e Doutorado, esta é a primeira vez que um projeto desenvolvido na PG-IAC e em área correlata à tese recebe financiamento do PIPE-Fapesp. “Além da pesquisa básica, a Pós-Graduação do IAC trabalha com pesquisa aplicada, que visa ao desenvolvimento de produtos e processos passíveis de terem propriedade intelectual e de serem trabalhados em uma empresa”, afirma.


Após o cumprimento dessa primeira fase do projeto, Calori poderá submeter um novo projeto para a Fapesp para o desenvolvimento do produto, com duração máxima de 24 meses e recurso de até R$ 1 milhão.


Em 20 anos de história, 1.668 projetos foram aprovados nas fases 1 e 2 do PIPE e 120 no âmbito de um acordo da Fapesp com a Finep para apoiar a inserção da inovação no mercado, por meio do Programa de Apoio à Pesquisa em Empresa (PAPPE). No total, a Fapesp destinou R$ 360 milhões ao Programa nas duas primeiras fases.


“Esse projeto mostra a importância da formação de recursos humanos por parte dos institutos de pesquisa da APTA e a importância do desenvolvimento dentro das Pós-Graduações de projetos de pesquisa aplicada, que podem gerar inovações tecnológicas, como é o caso deste projeto apoiado pelo PIPE-Fapesp. Uma das recomendações do governador Geraldo Alckmin é justamente incentivarmos a inovação e o empreendedorismo”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.



Por Fernanda Domiciano


Assessoria de Imprensa – APTA