RIBEIRÃO PRETO: VALOR DA CANA-DE-AÇÚCAR CRESCE

28/04/2006

Região de Ribeirão Preto apresenta maior crescimento de produção agropecuária no Estado de São Paulo em 2005.

Pesquisa do Instituto de Economia Agrícola (IEA) revelou que a região de Ribeirão apresentou o maior crescimento no Estado de São Paulo do valor da produção agropecuária em 2005 em relação à safra 2003/2004.

O valor da produção agropecuária no município, em 2005, atingiu R$ 1,84 bilhão, 14% a mais do que o registrado em 2004. O aumento se deveu, segundo o estudo do IEA, "principalmente ao crescimento do valor do principal produto regional (cana-de-açúcar)".

Em segundo e terceiro lugares no levantamento do IEA aparecem, respectivamente, as regiões de Bauru (crescimento de 11,6%), e a Central, cuja sede está em Araraquara, com alta de 9,2%.

Foi a cana-de-açúcar também que fez com que o cenário agrícola no Estado na safra 2004/2005 contrastasse com o desempenho negativo do setor em nível nacional.

Estimativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), citada no estudo do IEA, aponta que, no Brasil, o valor bruto da produção agropecuária diminuiu 9,8% em 2005 (R$ 167,7 bilhões).

Já no Estado de São Paulo houve aumento, em moeda corrente, de 6,6% no valor de produção agropecuária em 2005 (R$ 29,9 bilhões) em relação a 2004. O aumento, no Estado, está relacionado "mais à elevação dos preços dos produtos (...) do que à agropecuária total, que cresceu 2%".

Ainda segundo o IEA, "o valor da produção da cana cresceu 26,2% em 2005 graças ao aumento dos preços (19,7%) e da produção (5,4%)".

Esse aumento, de acordo com o IEA, está associado à demanda externa de açúcar e ao mercado interno de álcool. "Esse crescimento elevou a participação da cana no valor da produção agropecuária total do Estado, de 30,6% em 2004 para 36,2% em 2005", afirma o estudo do IEA.

E a perspectiva para o setor sucroalcooleiro no Estado e no país continuará ser de expansão, segundo Manoel Carlos de Azevedo Ortolan, presidente da Canoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo) e da Orplana (Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil).

Segundo Ortolan, essa expansão está garantida pela crescente demanda de álcool combustível, nos mercados interno e externo. "Está projetado para 2010/2011 uma produção de 570 milhões de toneladas de cana ou 180 milhões de toneladas a mais que na safra 2004/2005", afirma.

Somente no Estado de São Paulo, segundo o presidente da Canoeste, onde 3,14 milhões de hectares estão cultivados com cana para 2005/2006, devem entrar em funcionamento mais 40 usinas nos próximos anos.

Já os trabalhadores rurais ainda não sentiram o resultado dessa valorização da cana, segundo Silvio Donizeti Pauvequeres, presidente do Sindicato dos Empregados Rurais de Ribeirão Preto. "Há 3, 4 anos o setor vem melhorando muito, mas até agora nada para o trabalhador", afirma.

Cidade integra programa de microbacia
Com oito anos de atraso, Ribeirão Preto passou a integrar, a partir do último dia 6, o programa estadual de microbacias hidrográficas.

O programa tem por objetivo compatibilizar a produção agrícola com a proteção ao meio ambiente e pode colaborar para minimizar o problema das enchentes na cidade. O programa tem verba do governo do Estado e do Banco Mundial.

Donos de propriedades rurais às margens do córrego Ribeirão Preto, cuja bacia abrange 2.980 hectares, estão sendo cadastrados para o programa, segundo Luís Fernando Franco Zorzenon, chefe da Casa da Agricultura local. Conservação de estradas rurais, veículo para rondas policiais, máquinas e financiamento a fundo perdido são alguns dos benefícios que os produtores poderão receber, afirma Zorzenon.

"Serão os produtores que elegerão o que é prioridade para eles. Em Franca, por exemplo, os agricultores concluíram que o principal problema deles era a segurança. Foi doado um veículo para a Polícia Militar fazer rondas na zona rural", afirmou.

Outra vantagem para os produtores é a liberação de recursos para a reposição da matas ciliares. O limite de recursos liberados para cada produtor é de US$ 2 mil (R$ 4,2 mil). 


VALOR DE PRODUÇÃO DA CANA NO EDR* DE RIBEIRÃO PRETO
Números

2004
R$ 787,8 milhões

2005
R$ 964,7 milhões

Participação no Estado (%)
2004
3,93

2005
4,18

Valor de produção da cana na RA* * de Ribeirão Preto
2004
R$ 1,085 bilhão

2005
R$ 1,326 bilhão

Participação no Estado (%)
2004
5,75

2005
6,15

Participação na EDR (%)
2004
71,31

2005
77,19

Participação na RA (%)
2004
67,16

2005
72,02

* Escritório de Desenvolvimento Rural

** Região Administrativa

Fonte: Página Rural

Notícias por Ano