REABERTURA: AQUÁRIO DO INSTITUTO DE PESCA SERÁ REABERTO COM APOIO DO CNPQ

06/10/2005

O Instituto de Pesca, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, mantém no município de São Paulo o único aquário de visitação pública. Em antigüidade, ele é o primeiro do Estado e o segundo do Brasil. Tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado), o interessante aquário, hoje denominado “Aquário Água Branca”, foi construído na década de 30, em estilo normando, surpreendendo pela funcionalidade, beleza e arrojo dos arquitetos da época, diz seu responsável, o pesquisador Nilton Eduardo Torres Rojas (niltonrojas@pesca.sp.gov.br ) .

O Aquário será reaberto ao público no dia 16 de outubro, às 10 horas, durante a comemoração do “Dia Mundial da Alimentação”, no Parque Fernando Costa, também chamado “Parque da Água Branca”, localizando-se na zona oeste de São Paulo, metrô Barra Funda, e funcionará diariamente, das 9 às 17 horas.

O Parque foi criado em 1905, numa época de forte desenvolvimento da agropecuária paulista, destinando-se exclusivamente a abrigar órgãos de pesquisa agropecuária e associações de criadores, assim como à realização de leilões e exposições de animais. Hoje, tornou-se um grande parque público com características tanto urbanas - abrigando grupos de teatro, dança, convivência da terceira idade etc., quanto rurais - mantendo alguns animais criados em fazendas e vegetação composta de inúmeras espécies.

Instrumento de educação

O Instituto de Pesca é uma instituição de pesquisa científica e tecnológica que desenvolve projetos nas áreas de aqüicultura e pesca, com ênfase na obtenção de novos conhecimentos sobre estratégias e tecnologias destinadas à melhoria do agronegócio do pescado e da qualidade ambiental. Além das instalações destinadas à realização de pesquisas, este Instituto dispõe de espaços privilegiados, como o “Espaço Pesca e Aqüicultura”, que abriga o Aquário, e o Museu de Pesca, situado na cidade de Santos, para o desenvolvimento de atividades culturais e educacionais direcionadas à popularização de conhecimentos científicos e tecnológicos.

Concebido com base em um conceito mais amplo de ação científico-cultural-educacional, o “Espaço Pesca e Aqüicultura” poderá contribuir para redesenhar o senso popular em relação à concepção da biologia aquática, da pesca e da aqüicultura, resultando em mudanças de visão e consciência sobre o ambiente aquático e o aproveitamento sustentável dos recursos vivos, e até sobre o hábito de consumo do pescado, explica Nilton Rojas. Para este especialista em criação de peixes, o “Espaço” será um ambiente estimulante para o público infantil, estudantes, educadores, profissionais das áreas de aqüicultura e pesca e visitantes comuns do Parque da Água Branca, já que aquários costumam despertar interesses multidisciplinares na maioria das pessoas.

Recuperação arquitetônica

Para as obras de recuperação do imóvel, que se prolongaram por 10 meses, o Instituto de Pesca contou com o investimento de R$ 40.000,00 do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e de R$ 30.000,00 da própria Secretaria de Agricultura do Estado.

A área de exposição, que hoje abriga 30 aquários, foi ampliada para exibir as principais espécies de peixes de água doce utilizadas na aqüicultura e pesca, bem como, para possibilitar a implantação de outros tipos de exposição e projetos educativos. Nilton Rojas acredita que o novo Aquário poderá receber, diariamente, 160 estudantes e, por semana, outras 4.400 pessoas, totalizando a média mensal de 22.000 pessoas. O valor do ingresso será R$ 2,00, isentando-se do pagamento: crianças até cinco anos, adultos maiores de 65 anos e escolas públicas. O endereço do Aquário é avenida Francisco Matarazzo, 455, telefone: (11) 3871-7530.

 

Texto produzido por Antônio Carlos Simões, Instituto de Pesca, www.pesca.sp.gov.br

 

Notícias por Ano

Notícias por Polos