PROJETO AGROFLORESTAL COM REEDUCANDOS DE INSTITUTO PENAL AGRÍCOLA É PREMIADO E VAI AO QUÊNIA (14/07/2009)

O trabalho “Implantação de sistemas agroflorestais em área de preservação permanente pelos re-educandos do IPA (Instituto Penal Agrícola) do município de São José do Rio Preto-SP” foi premiado pelo World Agroforestry Centre Quenia (ICRAF) por ocasião do VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais, realizado de 22 a 26 de junho em Brasília. Por ter sido considerado o melhor trabalho do evento, será apresentado no II Congresso Mundial de Sistemas Agroflorestais (“World Congress of Agroforestry”), no período de 23 a 28 de agosto em Nairóbi (Quênia).

Trata-se de estudo elaborado por pesquisadores da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento; da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN), Programa Mata Ciliar e Instituto Florestal, vinculados à Secretaria do Meio Ambiente. Estes pesquisadores fazem parte do “Grupo Temático de Unidades de Experimentação e Demonstração de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e Outros Projetos de Interesse de Desenvolvimento Sustentável em Matas Nativas e Reserva Legal”. A finalidade do grupo é implantar modelos de SAFs na zona de amortecimento (até 10 km de raio) da “Estação Ecológica do Noroeste Paulista”, área de responsabilidade da UNESP de São José do Rio Preto.

Com a desativação do Instituto Penal Agrícola “ Javert de Andrade” (IPA) do município de São José do Rio Preto, surgiu a possibilidade imediata de plantio e de realização de um a trabalho social que pudesse utilizar a mão de obra dos reeducandos. O primeiro projeto técnico gerado pelo grupo foi o “Projeto Recuperação Ambiental na Microbacia do Ribeirão Piedade”. A primeira área plantada foi a área do IPA às margens do Ribeirão Piedade, de 18.600 m2.

Na área 1 (5600 m2), foram introduzidas espécies florestais nativas no espaçamento 3x2m, com plantio de milho próximo à cova, intercaladas com adubação verde, feijão guandu e feijão de porco na mesma linha e abóbora e melancia entre linhas. Na área 2 (13000 m2), foi realizado o plantio de espécies florestais nativas no espaçamento 3x2m, intercaladas com plantio de feijão guandu e feijão de porco na mesma linha e feijão de porco entre linhas.

O trabalho foi realizado pelos reeducandos, após um curso de sensibilização e capacitação. A idéia é fornecer no futuro modelos econômicos viáveis de SAFs para APP (Área de Preservação Permanente) e Reserva Legal, além de promover a reintegração dos reeducandos através da agricultura como atividade geradora de renda.

O trabalho foi desenvolvido pelos pesquisadores Maria Teresa Vilela Nogueira Abdo, Edmar Eduardo Bassan Mendes, Célio Luiz Justo, Roberto Molinari Peres, Antonio Lúcio Mello Martins e Maria Conceição Lopes, do Pólo Regional Centro Norte/APTA/SAA; Solange Nogueira da Costa e Fernando Stopato Fonseca, do Instituto de Pesca/APTA/SAA; Denyse Chabaribery , do Instituto de Economia Agrícola/APTA/SAA; Roberto Ulisses Resende, consultor da CBRN/SMA; João Fernando de Almeida Benedetti, Dagoberto Meneghini e Maria Eugênia Gracia De Pizzol, do Programa Mata Ciliar/SMA; João Bosco Monteiro e Hélio Ogawa, do Instituto Florestal/SMA; e José Orlando Mastrocola Lopes, da CBRN/SMA.

Outras informações podem ser obtidas com a pesquisadora Maria Teresa Vilela Nogueira Abdo pelo e-mail mtvilela@apta.sp.gov.br

Link relacionado:

II World Congress of Agroforestry (www.worldagroforestry.org/WCA2009)

Assessoria de Comunicação da APTA

José Venâncio de Resende

(11) 5067-0424

Acompanhe a Secretaria de Agricultura pelo Twitter

Notícias por Ano

Notícias por Polos