Pesquisadora da APTA será agraciada como agrônoma do ano em Bauru


A pesquisadora da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Aparecida Marques de Almeida Spadotti, será homenageada pela Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bauru (ASSENAG), na categoria “Agrônomo do ano”. A cerimônia de premiação será realizada em 17 de outubro, às 19h, na Sede da ASSENAG, em Bauru, interior paulista. Aparecida ingressou no Instituto Biológico (IB-APTA), em 1984. Desde 2002 atua no Polo Regional Centro-Oeste da APTA, em Bauru, onde realiza pesquisas na área de patologia vegetal. Em 2007, assumiu a diretoria do Polo.


De acordo com a ASSENAG/Bauru, Aparecida será agraciada em reconhecimento junto à Sociedade de Bauru e região, pelos trabalhos de pesquisa e atuação no agronegócio regional. A pesquisadora da APTA coordenou projeto de desenvolvimento sustentável em fruticultura tropical para agricultura familiar. “O objetivo do projeto foi desenvolver e adequar tecnologias fitotécnicas, fitossanitárias e agregação de valor para minimizar as perdas econômicas da pós-colheita da goiaba e adequar o cultivo da fruta à realidade das pequenas propriedades rurais da região”, conta a pesquisadora da APTA, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O Polo Regional Centro-Oeste, da APTA, tem relevante papel no fomento da fruticultura na região.


Aparecida realizou projeto incentivando o plantio de maracujá na região, resultando na aquisição de diversos equipamentos e na construção de uma agroindústria, com capacidade de moagem de 500 quilos de polpa da fruta. A agroindústria está instalada na ETEC Agrícola de Cabrália Paulista e é utilizada por alunos, pesquisadores e Associação de produtores de maracujá. A pesquisadora da APTA participou ainda do projeto de pesquisa multidisciplinar, no âmbito de políticas públicas, que objetivou elencar gargalos e oportunidades na cadeia de produção das oleaginosas, tendo em vista aspectos agrícolas, sociais, econômicos e ambientais. “Gostaria de agradecer a toda a equipe de pesquisadores da área vegetal do Polo Regional Centro-Oeste, que participaram ativamente desses projetos. Juntos, a gente conquista mais”, comemora.


Perfil

Formada em engenharia agronômica na Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), campus de Botucatu, em 1978, Aparecida trabalhou como professora na ETEC Agrícola “Cabrália Paulista”, na área de agricultura e horticultura. Ingressou na pesquisa paulista em 1984. Um ano depois concluiu o mestrado em Horticultura, pela Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP. Em 1994, obteve título de doutora em Agricultura, também na mesma Universidade.


Aparecida tem 30 artigos publicados em periódicos científicos, dez trabalhos completos, 21 resumos expandidos e 80 resumos publicados em anais de congresso. A pesquisadora já apresentou 15 trabalhos científicos e tem um livro publicado na área de manejo no controle do vírus do endurecimento dos frutos (PWV) do maracujazeiro.


Coordena projetos de pesquisa em parceria com a UNESP, Universidade Sagrado Coração (USC), Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Prefeitura Municipal de Bauru, Escola Técnica Agrícola de Cabrália Paulista, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), empresas privadas e produtores da região. Aparecida realiza ainda diagnósticos de doenças de plantas com emissão de laudos.




Texto: Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

Notícias por Ano

Notícias por Polos