PARCERIA VAI ESTIMULAR PESQUISAS COM PLANTIO DIRETO DE HORTALIÇAS EM S. JOSÉ DO PARDO

Por Cleide Elizeu

Gerar e transferir conhecimentos de plantio direto de hortaliças para os agricultores de São José do Rio Pardo. Este é o objetivo de contrato de parceria entre a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, e a Fundação de Pesquisa e Difusão de Tecnologia “Luciano Ribeiro da Silva”. “A cooperação formalizada entre as duas instituições viabiliza a transferência de tecnologia para a região, com foco na conservação dos recursos naturais e na necessidade definida pelo produtor”, afirma João Paulo Feijão Teixeira, coordenador da APTA.

O acordo, assinado no dia 28 de maio último em São José do Rio Pardo, sede da Fundação, levará as tecnologias geradas pelos Institutos da APTA para os produtores rurais do município, que mantêm vínculo com a entidade. A parceria entre as duas instituições também pretende desenvolver, nos próximos seis anos, pesquisas principalmente com plantio direto de hortaliças, visando diminuir os problemas ligados à conservação do solo e da água.

“A cooperação inicia-se com plantio direto em horticultura, sistema de produção que demandará desenvolvimento tecnológico nas condições edafo-climáticas da região e que evidencia a preocupação da pesquisa agropecuária e dos produtores com a produção sustentada de alimentos”, explica Feijão. Dessa forma, “minimiza-se o uso de insumos químicos, mesmo assim mantendo a fertilidade do solo e conservando água”.

Uma das preocupações atuais dos produtores da região é com a provável falta de água para a irrigação da lavoura, principalmente em função do manejo incorreto e do uso indiscriminado da água, diz o pesquisador Thiago Factor, da APTA. Desta maneira, a melhor aplicação do cultivo de hortaliças, como beterraba e cebola, em sistema de plantio direto será estudada e testada, como alternativa para diminuir o processo erosivo das terras da região.

Outros esforços conjuntos serão despertados e terão início com a prospecção de demandas tecnológicas da região, informa Feijão. Isto “visa definir claramente necessidades que deverão ser objeto de ação da APTA pela disponibilização de tecnologias já desenvolvidas ou pelo seu desenvolvimento”. O Pólo APTA Nordeste Paulista, por exemplo, estudará diferentes sistemas de produção de mudas de café, que poderão ser aplicados pelos produtores da região. Segundo Factor, estão previstos, além dos trabalhos de pesquisa, dias de campo com a presença de produtores do município e da região. Eles poderão constatar de perto os resultados das pesquisas e as atividades que estão sendo realizadas na Fundação pelos pesquisadores da APTA.

O Pólo APTA Nordeste Paulista, com sede em Mococa, participou da constituição da Fundação e, atualmente, é responsável pela articulação dos trabalhos de pesquisa na região das demais unidades da APTA, bem como pelo apoio logístico à Fundação de São José do Rio Pardo. Além do Pólo, a Fundação também contará com a instalação de uma estação meteorológica automática, coordenada pelo Instituto Agronômico (IAC – APTA) e financiada pelo Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO).

A Fundação

A Fundação “Luciano Ribeiro da Silva”, criada em 1996, reúne entidades representativas do setor agropecuário, como sindicatos, cooperativas, associações e ONG’s que atendem produtores da região de São José do Rio Pardo. Tem como objetivo difundir tecnologia agrícola, em especial práticas e novos sistemas de cultivo.

A região de São José do Rio Pardo é considerada uma das principais produtoras de café e hortaliças do Estado de São Paulo, destacando-se, principalmente, no cultivo de cebola e beterraba.

Assessoria de Comunicação Social
Tel: (11) 5067.0424 (Gabinete da APTA)
Tel: (19) 3743.1679 (APTA Campinas)

Notícias por Ano