ONU: AGRICULTURA É MAIOR AMEAÇA A RESERVAS DE ÁGUA

22/03/2006

Agricultura é a maior ameaça às reservas de água doce do planeta, de acordo com um relatório das Nações Unidas divulgado nesta terça-feira.
O documento afirma que cerca de dois terços da água doce proveniente de aqüíferos e outros rios são consumidos por fazendas.
As plantações estão usando mais água à medida em que a população mundial aumenta e mais pessoas passam a adotar “a dieta dos países ocidentais”, afirma um dos cientistas responsáveis pelo relatório.
O trabalho, intitulado Desafios para Águas Internacionais: Avaliação Regional em uma Perspectiva Global, sugere acabar com subsídios a pesticidas e fertilizantes e vender água a preços realistas (mais altos), como formas de reduzir não só a demanda por água, mas a poluição de fontes de água doce como rios.
E alerta para maiores problemas no futuro, se medidas de proteção não forem tomadas.

Unep

Coordenado pelo Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (Unep), o relatório reúne 1,5 mil diferentes estudos produzidos em todo o mundo.
A não proteção das reservas de água doce vai levar à redução do volume dos rios, aumento da salinidade dos estuários, perda de plantas e animais, incluindo algumas espécies usadas para alimentação humana.
Medidas para controlar a pesca estariam funcionando em algumas partes do mundo, mas a preocupação com métodos destrutivos, como o uso de explosivos em outras regiões, especialmente a Ásia, continuam.
A pesca com explosivos pode gerar um retorno 200 vezes maior, mas a população de peixes é dizimada e tende a acabar.

Subsídios

A Unep chama atenção para a concessão de subsídios como um fator para a degradação de recursos como a água doce e também de ecossistemas marinhos. Subsídios à pesca podem levar à distorções e subsídios à agricultura podem encorajar o uso irresponsável de pesticidas e fertilizantes.

"Há muitas mensagens importantes contidas neste estudo pioneiro," disse o diretor-executivo da Unep, Klaus Toepfer.

"Uma delas, alta e clara, é a e econômica: o nosso fracasso coletivo em avaliar os bens e serviços vindos de águas internacionais e em valorizar os benefícios com uma visão estreita, em favor de poucos, está nos empobrecendo a todos," afirmou.

O dilema que os países em desenvolvimento enfrentam é ilustrado pela contradição entre este relatório e um outro, também divulgado no Fórum Mundial da Água, no México, por outra agência da ONU.
O outro relatório, do Banco de Desenvolvimento Africano (ADB), apela para mais exploração da água como recurso natural - mais irrigação apra fazendas, mais represas para hidrelétricas, mais promoção de desenvolvimento econômico no continente.
A Unep, em contraste, chama atenção para os danos de longo prazo ao meio ambiente que podem resultar em um desenvolvimento insustentável e para os custos econômicos que vão resultar deste tipo de desenvolvimento.

Fonte:  BBCBrasil

Notícias por Ano