MUNICÍPIO DE ITAÍ PODERÁ TER PROJETO DE CRIAÇÃO DE PEIXES EM TANQUES-REDE

A possibilidade de instalação de projeto de produção de peixes em sistema intensivo em área do município de Itaí por meio de parceria entre a Prefeitura, a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) - as duas últimas vinculadas à Secretaria de Agricultura e Abastecimento - foi discutida recentemente. O projeto deverá ser instalado na represa de Jurumirim por meio de sistema de tanques-rede.       

 

O assunto foi tratado durante reunião realizada em Itaí, que abordou temas relativos à elaboração dos projetos de licenciamento ambiental e técnico; ao apoio das instituições da Secretaria de Agricultura e Abastecimento na difusão da tecnologia de produção de peixes em tanque-rede entre os produtores rurais interessados na atividade; e à possibilidade de parceria entre Prefeitura local, Cooperativa Mista Agrícola de Piscicultores (COOMAPEIXE), CATI, Pólo Médio Paranapanema/APTA e Instituto de Pesca (IP-APTA).

 

Além do prefeito Luiz Antonio Paschoal, participaram da reunião o diretor da CATI/ Regional Avaré, Antonio Rangel; técnicos da Prefeitura ligados a agricultura e meio ambiente; e representantes da COOMAPEIXE. O prefeito manifestou o interesse de desenvolver em Itaí a produção de peixes em tanque-rede como forma de diversificação da produção rural do município, de maneira a gerar mais renda ao produtor rural. “Naturalmente, vamos gerar mais empregos a partir da criação e beneficiamento do pescado produzido”, avaliou Paschoal. 

 

A idéia da parceria é, num primeiro momento, capacitar e treinar os técnicos das Casas da Agricultura na produção de peixes em tanque-rede e, somente depois, orientar os agricultores neste tipo de agronegócio, explicou o diretor regional da CATI. 

 

Unidade demonstrativa

 

A Unidade Demonstrativa (projeto-piloto) a ser implantada em Itaí deverá ter uma infra-estrutura de cultivo destinada ao treinamento, capacitação e transferência de tecnologia em piscicultura intensiva aos produtores rurais, que assim se tornariam aptos ao cultivo de peixes.  A ênfase deverá ser para temas como boas práticas de produção (manejo), sanidade, controle zootécnico, nutrição, planejamento e gestão do empreendimento.

 

O diretor-presidente da COOMAPEIXE, Fernando Franco, considera que Itaí tem potencial para a produção de pescado por causa da grande quantidade de áreas adequadas ao cultivo. Também lembrou que se deve sempre levar em consideração a legislação ambiental e seguir à risca os procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Pesca e Aqüicultura e os demais órgãos envolvidos no licenciamento das áreas aqüícolas.

 

O diretor Antonio Rangel informou que conversou com o gerente do Banco do Brasil de Avaré, para a criação do chamado Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS Peixe). Disse ainda que os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural, após ampla discussão com produtores rurais, fornecedores de insumos e os demais elos da cadeia produtiva, decidiram incluir a piscicultura nos Planos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável (PMDRS). Isto deve permitir a melhor organização do setor e ações por parte do Poder Público (Informações fornecidas pela Assessoria de Imprensa da CATI/Regional Avaré).

Notícias por Ano