LIVRO ABORDA GESTÃO E INOVAÇÃO NOS AGRONEGÓCIOS

12/09/2006

A área de agronegócios no país ganha agora uma contribuição com o lançamento do livro “Agronegócios: Gestão e Inovação”, organizado pelos professores Luís Fernando Soares Zuin, da PUC Campinas (SP), e Timóteo Ramos Queiroz, da Unesp Tupã (SP), e lançado pela Editora Saraiva. A proposta da obra é mostrar que é possível encontrar uma boa alternativa ao mercado de produtos commodities no país, com base na manufatura de produtos alimentícios dentro das empresas rurais brasileiras.

Com a participação de 19 professores de várias instituições de ensino, como DEP-Ufscar, Poli-Usp, PUC-Campinas, Unesp-Tupã, Unesp-Dracena e Faculdade Etapa-SP e contando com prefácios de Sílvio Crestana (Presidente da Embrapa) e Mário O. Batalha (GEPAI-DEP-UFSCar), o livro “Agronegócios: Gestão e Inovação” aborda alguns dos mais importantes temas da atualidade para o agronegócio nacional e internacional. Ele divide seus capítulos entre a apresentação de conceitos e métodos de análise que se originam nas áreas da gestão e da economia. Esta abordagem de entendimento e intervenção é muito atual no estudo dos agronegócios.

Além de conceitos básicos relacionados com a definição dos sistemas agroindustriais, os autores enfatizam aspectos do agronegócio relacionados à inovação tecnológica, à coordenação das cadeias produtivas e a várias áreas de gestão no que se refere ao desenvolvimento de produtos do tipo bens especiais agroalimentares. “O grande desafio atual do agronegócio nacional é agregar valor ao produto commodities. Isso porque quem estipula o preço desse tipo de produto é o comprador, e não quem está vendendo”, disse Zuin, que é professor do Centro de Economia e Administração da PUC Campinas.

Em auxílio a essa proposta de desenvolvimento de novos produtos alimentícios na empresa rural, o livro aborda métodos relacionados a diversas áreas, como por exemplo, marketing, controle de custos, empreendedorismo, qualidade e exportação. Todas essas grandes áreas da gestão relacionadas ao mundo do agronegócios. “No mercado de commodity não há diferenciação de produtos, ou seja, os produtores seguem um padrão comum estabelecido pelo mercado. Produtos commodities sempre vão existir, principalmente nas grandes propriedades rurais. Nesse contexto, o livro oferece novas estratégias de agregação de valor à produção, que podem ocorrer, por exemplo, por meio de algum tipo de certificação, como a de produtos orgânicos, ou por meio do processamento de alimentos dentro da própria fazenda”, pontua. “A idéia é fazer como que o produtor passe a seguir um conjunto de atividades e tarefas específicas, que incluem a produção, pesquisas de mercado e formulação do produto final, a fim de lançá-lo com sucesso no mercado”, completa Zuin.

Deve-se ressaltar que a maioria dos capítulos alia a apresentação da teoria com casos práticos que a ilustram. “Esta preocupação facilita sobremaneira o entendimento dos conceitos apresentados para o leitor. Assim, esta coletânea de textos pode ser útil a várias disciplinas não apenas dos cursos de agronegócio, mas também de administração, zootecnia, turismo, agronomia, engenharia de alimentos, medicina veterinária, engenharia de produção, entre outros existentes em todo o país. O grande número de cursos de agronegócios criados no Brasil recentemente poderá contar com mais esta fonte de consultas e informações”, avaliam os autores.

A idéia de escrever esse livro partiu de necessidade de encontrar uma alternativa de produção de commodities, que seria a manufatura dos produtos bens especiais agroalimentares na empresa rural. Segundo um dos autores e organizador do livro, Luís Fernando Soares Zuin, esse tipo de produto é aquele que recebe alguma espécie de cerificação e/ou sofre algum processamento. “O desenvolvimento desses produtos nas empresas rurais é uma alternativa ao mercado de produtos commodities, além de ser uma estratégia para agregar valor à produção rural, aumentando a renda do empresário rural, se mostra, atualmente, nesse momento de crise, uma questão de sobrevivência para a sua atividade. Para que possa desenvolver esse tipo de produto é necessário o emprego de modelos de Gestão da Inovação para a Produção Agropecuária (modelo GIPA) e de técnicas de gestão do processo de desenvolvimento de produto (método PDP rural)”, explica.

Serviço - “Agronegócios: gestão e inovação”
Editora Saraiva
http://www.saraiva.com.br

Mais Informações:
http://agronegocios.zip.net/
 

Notícias por Ano