IEA: preços agrícolas caem 1,29% na 2ª quadrissemana de junho

21/06/2005

São Paulo, 20 - Os preços agrícolas recuaram 1,29% na segunda quadrissemana de junho. A queda foi inferior à registrada na quadrissemana anterior, que foi de 1,42%. Os cálculos são do pesquisador Nelson Batista Martin, do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

Segundo Martin, "o índice de preços recebidos pelos agricultores (IPR) manteve a tendência de queda, em função da baixa nos preços dos produtos vegetais, mesmo com a alta nos preços dos produtos de origem animal.

Dos 19 produtos analisados na pesquisa, sete apresentaram crescimento no preço (banana, feijão, soja, aves, ovos, suíno e leite), sete tiveram reduções (algodão, arroz, batata, café, laranja, tomate e trigo) e outros cinco apresentaram preços estáveis (amendoim, cana-de-açúcar, cebola, milho e boi gordo). O destaque de alta foram as aves (11,54%) e a queda mais expressiva ocorreu na batata (-54,37%).

O estudo mostra que entre os produtos de origem vegetal, a queda de preço em todos os subgrupos reduziu o preço desse grupo em 4,50%. "Já no segmento animal, a alta em aves, leite, suínos e ovos levou ao aumento de 4,48% no preço do grupo. O resultado foi a queda de 1,29% no índice geral (IPR)."

Martín destaca a leve recuperação nos preços internacionais da soja, em função das condições desfavoráveis no desenvolvimento da cultura nos Estados Unidos, principal produtor mundial, que praticamente concluiu o plantio, com efeitos nos preços recebidos pelos agricultores brasileiros. Ele observa que a diferença de R$ 10 nos preços atuais em relação aos registrados em junho do ano passado, "se deve exclusivamente à valorização do real".

Venilson Ferreira
 

Notícias por Ano

Notícias por Polos