GRÃOS: ESTIMATIVA DO IBGE APONTA SAFRA DE 121 MILHÕES DE TONELADAS

01/04/2005

PORTO ALEGRE - A produção nacional da safra de cereais, leguminosas e oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale), deve atingir um volume de grãos da ordem de 120,951 milhões de toneladas. Os dados divulgados nesta quinta-feira (31/03), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, superam em 1,57% a safra de 2004, que totalizou 119,085 milhões de toneladas, mas são 10,09% menores que a projeção realizada em janeiro, quando foi estimada uma produção de 134,522 milhões de toneladas.

O IBGE destaca que a estimativa envolve algumas simulações, principalmente para os cultivos de inverno (trigo, aveia, centeio e cevada), e as segunda e terceira safras de alguns produtos que, por causa do calendário agrícola, não permitem que se tenha ainda uma primeira estimativa de produção.

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de fevereiro destacam-se as variações nas estimativas de produção de cinco produtos em comparação com janeiro: arroz em casca (-3,08%), feijão 1ª safra (-8,75%), mamona (22,24%), milho em grão 1ª safra (-11,48%) e soja (-13,23%).

A variação negativa de 3,08% na estimativa de produção para o arroz deve-se às perdas verificadas no Rio Grande do Sul, onde problemas de ordem climática ocasionaram diminuição na produtividade do produto. Com um rendimento de 5.421 kg/ha (-7,73%), espera-se para este Estado uma produção em torno de 5,415 milhões de toneladas.

Para o feijão 1ª safra verifica-se uma redução de 8,75% na produção aguardada para 2005 (1,6 milhão de toneladas). As principais perdas são observadas nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia, com reduções de 3,95%, 31,03%, 15,73% e 42,89%, respectivamente. As estiagens prolongadas, aliadas à má distribuição de chuvas, foram as causas principais para este quadro negativo da cultura do feijão nesses Estados.

Quanto à cultura da mamona, verifica-se em fevereiro um crescimento de 22,24% na produção para este ano, o que reflete os incentivos governamentais direcionados ao produto. Em todos os Estados onde a mamona é pesquisada observam-se aumentos: Ceará (3,08%), Bahia (26,52%), Minas Gerais (10,51%) e São Paulo (13,14%). A produção aguardada para 2005 é de 186 mil toneladas, contra 138 mil toneladas obtidas no ano passado.

Por causa da seca que assola principalmente os Estados da região Sul, tanto a soja (-13,23%) quanto o milho 1ª safra (-11,48%) apresentam quedas nas suas produções para a safra de 2005. No caso da soja, as maiores perdas de produção foram do Rio Grande do Sul (-65,49%), de Santa Catarina (-30,58%) e do Paraná (-23,75%). Já o milho apresenta as seguintes reduções: -56,29% no Rio Grande do Sul; -30,68% em Santa Catarina e -6,18% no Paraná. Após essa quebra estima-se que a soja tenha uma produção de 54,794 milhões de toneladas e o milho 1ª safra, 28,162 milhões de toneladas.

Do Agrol Notícias

Revista Globo Rural
http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC940050-1935,00.html

Notícias por Ano