ESTUDO ANALISA SETOR CANAVIEIRO E MOSTRA OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

18/04/2006
 
Estudo sobre o vasto leque de oportunidades de negócios que a cana-de-açúcar oferece foi transformado no livro O Novo Ciclo da Cana, nova fonte de consulta, com a mais recente análise da competitividade do setor.

A publicação, patrocinada pelo Sebrae e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), entidade vinculada à Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi lançada no dia 3 deste mês, em Maceió, Alagoas.

O livro apresenta 60 tecnologias que têm a cana como matéria-prima básica, entre elas, um ácido que acelera o enraizamento de plantas, um regulador digestivo para porcos e bovinos, rações para ruminantes, um inseticida biológico contra pulgões e um fármaco contra deficiência de cálcio. Desses produtos, quarenta possuem facilidades técnicas e econômicas para serem produzidos e constituem-se em oportunidades para novos empreendimentos, como o caso do aproveitamento do gás carbônico, produzido em destilarias de produção de álcool, que pode ser transformado em carbonato de sódio para uso na indústria alimentícia e farmacêutica.

As tecnologias derivadas da cana, seus processos básicos de produção industrial, suas respectivas aplicações, custos para implantação de sistemas de produção e subprodutos da cana, bem como seus mercados atuais e potenciais e aspectos de sustentabilidade socioambiental constam da publicação.

O conjunto da obra contém, além do livro impresso, um Cd-Rom com o trabalho completo e um banco de dados para potenciais investidores. Na simulação do banco de dados, é possível pesquisar o nome do produto pelo qual há interesse, e verificar qual o investimento mínimo, os equipamentos e mão-de-obra necessários, a taxa interna de retorno esperada e em que etapa de ciclo de vida encontra-se o produto, entre outras informações.

"Esta é uma obra que dá suporte para empreendedores que pretendem desenvolver ou já desenvolvem negócios no setor canavieiro", afirma a professora Maria Rita Assumpção, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), coordenadora do estudo.

Além de pesquisadores da UFSCar, a pesquisa contou com a participação de estudiosos da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo e do Instituto Cubano de Pesquisa dos Derivados da Cana-de-Açúcar (Icidca).

Novas tecnologias

De acordo com o professor da Universidade de Brasília (UnB) e consultor da pesquisa, Josemar Medeiros, algumas dessas tecnologias já são usadas por empresas no Brasil. "É o caso do aproveitamento do gás carbônico, produzido em destilarias de produção de álcool, para transformá-lo em carbonato de sódio para uso na indústria alimentícia e farmacêutica", exemplifica.

Segundo ele, o setor mais promissor para o desenvolvimento de novos produtos é o de biotecnologia, principalmente, o de produtos veterinários. Medeiros explica que alguns medicamentos de crescimento animal disponíveis no mercado poderiam se tornar mais competitivos se usassem a cana-de-açúcar em seu princípio ativo.

"São alternativas para que empresas do setor aumentem eficiência nos O Brasil é hoje o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, com mais de 386 milhões de toneladas produzidas por ano. Segundo a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), na safra 2004/2005 o maior produtor foi o Estado de São Paulo, com 230 milhões de toneladas, seguido do Paraná, com quase 29 milhões, Alagoas com 26 milhões e Pernambuco com 16,6 milhões de toneladas.

Fonte: Agropauta

Notícias por Ano