ENCONTRO CATI-APTA REGIONAL DISCUTE PROPOSTAS PARA CADEIAS DE PRODUÇÃO NA NOROESTE PAULISTA

As necessidades de seis cadeias de produção (fruticultura, grãos, pecuária de leite e de corte, seringueira e piscicultura) foram levantadas e discutidas em oficinas por cerca de 200 profissionais entre pesquisadores, extensionistas, produtores rurais e representantes de conselhos municipais e regionais, que se reuniram dia 15 de abril em Votuporanga (SP) para o seminário “Plano de desenvolvimento rural sustentável – solo é vida”.  O encontro foi organizado pelo Departamento de Descentralização do Desenvolvimento (APTA Regional) e pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), ambos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA).

As demandas dos agricultores das regiões de Votuporanga, Jales, Fernandópolis, Araçatuba, Andradina e General Salgado, abrangendo 102 municípios, foram reunidas em documento de intenções, que consolida o resultado das discussões e define o planejamento para execução dos projetos a serem implantados. Durante o encontro, também foram apresentadas as pesquisas em desenvolvimento e as tecnologias disponíveis para as principais cadeias de produção.

Na oficina sobre a cadeia de pecuária leiteira, foram identificadas necessidades como mais informações sobre mastite e mosca do estábulo, sistemas de produção adequados às condições do produtor, seleção e adaptação de forrageiras, diagnóstico sobre adubação de pastagem, protocolo de boas práticas, além de raças adequadas para a região e estudo de viabilidade econômica da implantação de agroindústrias e produtos lácteos. Na bovinocultura de corte, as demandas abrangem estudos sobre cruzamentos mais indicados para a região, treinamento em manejo e gestão e políticas públicas específicas (crédito, seguro etc.).

Na cadeia da fruticultura, foram debatidos assuntos relacionados com banana, goiaba, uvas finas, abacaxi e citros. Na maioria, faltam produtos para controle eficiente de pragas e doenças, pesquisas para melhoria da qualidade de frutas e testes de adaptação de variedades mais interessantes para o mercado consumidor. Em relação aos grãos, verificou-se a necessidade de implantação de projetos de integração lavoura-pecuária-floresta, sem que o produtor tenha que adquirir novos equipamentos.

Na cadeia da heveicultura, as principais dificuldades são a falta de produtos específicos para a seringueira, escassez de mão-de-obra qualificada para sangria e sistema de contrato de sangria inadequado. No caso da piscicultura, o maior problema é regularizar os projetos onde já tem os tanques e instalação de abatedouro, possibilitando maior aproveitamento e comercialização com agregação de valor, além de falta de padronização genética e de qualificação de mão-de-obra, invasão de plantas daninhas e de mariscos (mexilhão dourado) e falta de monitoramento e pesquisa sobre a qualidade da água.

José Luiz Fontes, coordenador da CATI, destacou que a pesquisa é responsável por parte do sucesso dos trabalhos desenvolvidos pelas instituições governamentais, daí a importância da aproximação da APTA com os produtores rurais. Os estudos efetuados possibilitaram à CATI desenvolver grandes trabalhos em conservação de solo e avançar na sua recuperação em todo o interior paulista. “São Paulo virou a página e introduziu o plantio direto em suas propriedades rurais, com a colaboração e esforço dos agricultores. Demonstramos que é possível ter uma agricultura rentável com preservação ambiental”. O papel da extensão rural é fazer com que as políticas públicas, as pesquisas e tecnologias cheguem ao agricultor, principalmente àqueles que mais precisam, concluiu.

O pesquisador Alceu de Arruda Veiga Filho, diretor da APTA Regional, explicou que os quinze Pólos Regionais, apoiados pelos Institutos de Pesquisa da APTA, buscam produzir conhecimento e transferir tecnologia para as principais cadeias produtivas importantes em cada região do estado. Espera-se que resultados contribuam para a redução das disparidades regionais e para o desenvolvimento da agricultura paulista. Assim, a ação conjunta com a CATI propicia a transferência de maneira mais eficiente e completa.

Já o prefeito de Votuporanga, Nasser Marão Filho, disse que a agricultura é um braço fundamental para o desenvolvimento econômico da região. “Por esse motivo, precisamos gerar renda e buscar sempre novas alternativas para fixar o homem no campo” (fonte: assessoria de imprensa da CATI relatório do encontro regional).

Notícias por Ano

Notícias por Polos