CUSTO DE PRODUÇÃO DE MORANGO ORGÂNICO É DE R$ 18.967,04, INFERIOR AO DO CULTIVO CONVENCIONAL

 
O custo de produção de morango orgânico é de R$ 18.967,04 para 10 mil plantas, valor inferior ao do cultivo convencional (R$ 22.010,76), de acordo com estudo de caso dos pesquisadores Alceu Donadelli (Polo Leste Paulista/APTA Regional/Secretaria de Agricultura e Abastecimento); Cristiaini Kano (Embrapa Amazônia Ocidental) e Flavio Fernandes Junior (Embrapa Agrosilvipastoril). Para realizar o trabalho, os pesquisadores coletaram dados em duas propriedades, localizadas nos municípios de Atibaia e de Monte Alegre do Sul. 
   
No caso do orgânico, a produção média foi de 787 gramas por planta e o custo por planta de R$ 1,90, o que resultou em índice de lucratividade de 60,74% e margem bruta de 154,74%. Já no cultivo convencional, a produção média foi de 871 gramas por planta e o custo médio de R$ 1,93 por planta, com índice de lucratividade de 49,46% e margem bruta de 97,88%.
 
Para elaborar os cálculos do custo, os pesquisadores utilizaram uma capacidade de cultivo de 10 mil plantas, que ocupa mão de obra de duas pessoas (casal, por exemplo), no período de março a novembro, para os dois sistemas de produção (orgânico e convencional). Eles aplicaram o valor médio de comercialização (R$ 7,00 a caixa para o morango convencional e R$ 10,00 a caixa para o orgânico). Na comercialização de morango para a indústria, o produtor recebeu R$ 1,00 por quilo do orgânico.
 
Entre os itens que compõem o custo de produção, os gastos mais expressivos foram com mão de obra, maiores no cultivo orgânico (49,56% do total) do que no convencional (29,26%). Os itens de maior peso na mão de obra foram colheita, embalagem e limpeza do cultivo. “Essas informações percentuais dos gastos com colheita, classificação e embalagem podem ser corrigidas através de cursos de capacitação do produtor, usando a melhor forma de trabalhar esses itens”, dizem os pesquisadores.
 
Já os gastos com insumos no cultivo tiveram menor participação no custo do orgânico (36,32%) do que no do convencional (43,67%). Porém, nos dois sistemas, os itens de maior peso foram embalagens e mudas.
 
Entre as soluções para diminuir os custos nos dois sistemas, os pesquisadores apontam negociação com a indústria para produzir embalagem mais econômica ou vender em grande quantidade a grupos de produtores. Outra medida seria a de grupos de produtores adquirirem mudas de empresa certificada por melhor preço.
 
Agricultura familiar
 
Os principais municípios produtores de morango no Estado de São Paulo são Piedade, Itapeva, Atibaia, Jarinu, Socorro e Monte Alegre do Sul. O cultivo do morango, tanto orgânico quanto convencional, é desenvolvido pela agricultura familiar.
 
“A atividade com morango requer dos produtores certas preocupações, em função dos fatores climáticos, pragas, doenças e na comercialização”, dizem os pesquisadores. Esses fatores podem interferir nos resultados econômicos. “O desafio dos produtores está na busca por novas tecnologias como variedades mais resistentes a pragas e doenças, mais produtivas e adaptadas para cada região.”
 
No caso específico do morango orgânico, a produção tem potencial para ser bastante competitiva, quando comparada com o sistema convencional, observam os pesquisadores. “Neste sentido, tecnologias direcionadas a projetos que reduzam o uso de insumos químicos, na produção de alimentos, levariam a redução dos gastos na composição dos custos de produção, na sustentabilidade da atividade e na recomposição dos solos e do meio ambiente.”          
 
A íntegra do trabalho está disponível em:
 
 
 
Assessoria de Comunicação da APTA
 
José Venâncio de Resende
 
(11) 5067-0424

fotomorango
 

 

 

      

Notícias por Ano