CAFÉ: BRASIL MIRA ALTA DO CONSUMO GLOBAL DE CAFÉ

21/06/2005

SANTOS - A estimativa de que o consumo mundial de café alcançará cerca de 145 milhões de sacas em uma década está levando o Brasil a um ajustamento de política de produção a fim de abastecer pelo menos 40% do mercado projetado. Seriam 60 milhões de sacas por ano, enquanto a média de produção das últimas três safras foi de 32 milhões.

Segundo Linneu Carlos da Costa Lima, secretário de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura e encarregado no governo de "amarrar" a posição brasileira tendo em vista essa meta, "temos que aprender as lições da crise da última década, quando a a saca caiu para US$ 40, reflexo da [grande] oferta. Não podemos produzir em excesso, nem perder as oportunidades que virão", disse Costa Lima, que esteve nesta quinta-feira (16/06) em Santos para anunciar a 2ª Conferência Mundial de Café, a ser realizada em setembro, em Salvador.

Segundo ele, a safra brasileira de 2006/07 - que o mercado espera que renda 45 milhões de sacas - será um bom parâmetro para as autoridades cafeeiras traçarem a política dos próximos anos, com vistas ao consumo de 145 milhões de sacas, ante as 120 milhões atuais. Há números preocupantes para a sustentação de médias anuais mais elevadas, como a possível existência do equivalente a 40% das lavouras brasileiras com mais de 20 anos.

Para o secretário, não há mais espaço no mercado para artificialismo de preços, retenção de estoques, confisco cambial ou negócios especiais, medidas que permearam a estratégia de vendas do país em períodos anteriores.

Revista Globo Rural

Notícias por Ano