BRASIL SERÁ O MAIOR CONSUMIDOR MUNDIAL DE CAFÉ EM 10 ANOS, PREVÊ CNC

04/10/2006

O presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), Maurício Miarelli, estimou hoje que o Brasil será, em 10 anos, o maior consumidor mundial de café, com demanda interna anual de 21,5 milhões de sacas de 60 quilos. A previsão considera o crescimento de 3% no consumo interno. Ele lembrou ainda que projeções da Organização Internacional do Café (OIC) indicam crescimento de 1,5% por ano na demanda mundial.

Caso as projeções se confirmem, o consumo mundial cresceria, em uma década, de 123 milhões para 143 milhões de sacas. De acordo com dados apresentados pelo CNC, as perspectivas são de aumento de 52% no consumo mundial de café solúvel e de 48% na procura por café torrado e moído.

Ao inaugurar hoje o escritório do CNC em Brasília, Miarelli disse que a manutenção das exportações médias de 26 milhões de sacas de café por ano e considerando o consumo interno projetado de 21 milhões de sacas indicam que a produção média anual do Brasil em 10 anos deve passar para 48 milhões. A safra atual, 2006/07, foi estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 41,6 milhões de sacas.

No entanto, lembrou o dirigente, o Brasil responde por 30% das exportações mundiais de café. Se essa participação for mantida, os embarques podem somar 32 milhões de sacas, volume que somado à demanda interna elevará a necessidade de produção, em média, para 53 milhões de sacas. No caso do robusta, o consumo interno deve somar 12 milhões de sacas, aumento de 33,33% sobre a produção média atual.

"Nesta hipótese, o incremento da produção de arábica deverá ser de 24%, passando para 36 milhões de sacas. Isto, sem considerar que o Brasil pode vir a se tornar um importante exportador de café robusta para um mundo que deverá demandar, em 10 anos, a importação de pelo menos 42 milhões de sacas desta variedade", afirmou.

Fonte: APTA

Notícias por Ano