APTA REGIONAL: PESQUISADORES DA APTA REGIONAL SÃO INDICADOS AO PRÊMIO LAMAS

28/04/2006

Os pesquisadores científicos Carla Cachoni Pizzolante, Érika Salgado Politi Braga Saldanha, Antônio de Pádua Deodato (Pólo Regional do Centro Oeste), e Christine Laganá (Pólo Regional do Leste Paulista) foram indicados ao prêmio Lamas, uma das mais importantes premiações da área de avicultura no Brasil, pela apresentação do resultado da pesquisa “Níveis de cálcio e granulometria do calcário sobre a qualidade de ovos de poedeiras semi-pesadas em segundo ciclo de produção”.

 

O objetivo da pesquisa é diminuir a grande perda de ovos e conseqüentemente os custos para o produtor, aproveitando mais um ciclo de produção da galinha e ainda melhorar a qualidade dos ovos produzidos por esse 2º ciclo. O trabalho é uma parceria entre os pesquisadores científicos da Apta Regional e profissionais da Unesp-Botucatu, o professor Edivaldo Antonio Garcia, e alunos de Pós-Graduação.

 

O vencedor do prêmio será anunciado durante a Conferência APINCO 2006 (Associação Brasileira dos Produtores de Pintos de Corte) entre os dias 03 a 05 de maio na cidade de Santos. O autor do trabalho premiado receberá um prêmio em dinheiro, no valor de mil reais. A Conferência APINCO é o mais importante evento na área de avicultura do Brasil, tem reunido nos últimos anos os mais renomados pesquisadores do setor avícola.

 

Pesquisa

O interesse em pesquisar granulometria e níveis de calcário em aves de segundo ciclo tem uma importância muito grande para os produtores, já que a prática da muda forçada para o aproveitamento das aves num segundo ciclo de produção tem sido muito utilizada no Brasil. No entanto, ovos dessas aves de segundo ciclo são maiores e com isso apresentam mais problemas com a qualidade da casca, prejudicando sua comercialização.

 

De acordo com a pesquisadora Christine, algumas pesquisas sugeriam que fontes de calcário com granulometria maior permaneceriam mais tempo no trato gastrointestinal das aves, melhorando a absorção e proporcionando melhoras na qualidade da casca dos ovos. No entanto, foi observado que substituição parcial do calcário por partículas grandes, pode não promover melhoras sobre a qualidade da casca, quando as aves estão sob condições ótimas (não estão em estresse). Partículas grandes podem ser benéficas em situações adversas que reduzem o consumo ou a disponibilidade de cálcio.

 

“Essa pesquisa nos fez concluir que o nível de cálcio normalmente recomendado para poedeiras em primeiro ciclo de produção pode ser empregado em poedeiras no segundo ciclo, sem afetar a qualidade dos ovos”, afirmou Christine.

 

Segundo a pesquisadora, os ovos produzidos por esse segundo ciclo de produção são mais fracos e maiores e a utilização desse calcário em forma de grânulos é uma alternativa para se melhorar a qualidade dos ovos sem mais custos ao produtor.

 

 

Texto produzido pela Assessoria de Comunicação

comunicacao@aptaregional.sp.gov.br

Notícias por Ano

Notícias por Polos