APTA REGIONAL: PESQUISADORA DO PÓLO REGIONAL DO CENTRO SUL MINISTRA PALESTRA SOBRE PISCICULTURA NA 19ª EDIÇÃO DA RAIB

03/11/2006

A 19ª RAIB – Reunião Anual do Instituto Biológico – que acontece em São Paulo de 6 a 9 de novembro, terá como um de seus palestrantes a pesquisadora científica Mônica Accaui Marcondes de Moura e Mello, do Pólo Regional do Centro Sul, vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A pesquisadora vai abordar o tema “Piscicultura e uso responsável de ambientes aquáticos”, com o objetivo de mostrar aos produtores a piscicultura como uma atividade sustentável dentro das bacias hidrográficas, e como a aqüicultura pode acontecer de forma menos impactante no meio ambiente.

 

A palestra será ministrada no segundo dia do evento, terça-feira, dia 07, e faz parte do tema “Bacias hidrográficas e a ética para o futuro” que será discutido nesse dia. Mostrar como a piscicultura é uma importante atividade econômica e social é um dos objetivos da palestra.

 

As melhores formas de manejo também serão discutidas na palestra, pois segundo a pesquisadora, os piscicultores nem sempre utilizam as técnicas adequadas. “Por isso é importante que o produtor procure um técnico antes de começar a atividade, para que ele possa extrair o necessário da mesma, obtendo a maior produtividade com o menor impacto negativo possível”, comentou Mônica.

 

A pesquisadora científica também abordará durante sua apresentação a intenção dos órgãos de pesquisa e do governo na adoção de um Código de Conduta para a Aqüicultura. Segundo Mônica, esse código é a base para as Boas Práticas de Manejo. “Com a questão ambiental sendo muito difundida, buscamos excelência na produção, e sem Boas Práticas de Manejo, fica difícil fazer uma organização da cadeia produtiva”, disse a pesquisadora.

 

Segundo a pesquisadora científica, a piscicultura é menos poluente do que outras atividades, como por exemplo o lançamento de esgotos de origem doméstica e industrial, mas, o grande problema é a quantidade de água que a piscicultura consome. “Essa água utilizada na produção dos animais precisa ser constantemente renovada, e uma das formas de minimizar o consumo é fazer a recirculação da mesma dentro do sistema de criação, visando seu reaproveitamento. A água passa por uma seqüência de filtros, onde é feita a remoção de sólidos, e, graças a presença de microorganismos, também ocorre o consumo dos metabólitos dissolvidos na água, que pode, então, ser reutilizada na produção dos peixes. Outro ponto importante é manter os padrões mínimos de qualidade da água no momento de seu descarte nos corpos d’água receptores”, completou Mônica.

 

A palestra é voltada para profissionais da área, produtores, estudantes, pesquisadores e os usuários das bacias hidrográficas em geral.

 

Mais informações com a pesquisadora Mônica Accaui Marcondes de Moura e Mello pelo email monica_moura@aptaregional.sp.gov.br

 

 

Texto produzido pela Assessoria de Comunicação

comunicacao@aptaregional.sp.gov.br

Notícias por Ano