APTA REGIONAL: EXPECTATIVAS DO MERCADO DE MILHO É TEMA DE ENCONTRO ENTRE AGRICULTORES E ESPECIALISTAS

23/02/2005

As tendências do mercado agrícola para o cultivo do milho, as principais doenças do produto e os novos cultivares da espécie são os temas abordados no Dia de Campo de Milho que acontece no próximo sábado, 26, na fazenda do Pólo Regional do Noroeste Paulista, da APTA Regional, em Votuporanga.

 

A organização do evento espera um público de cerca de 300 pessoas que irão acompanhar palestras e explicações de técnicos, engenheiros agrônomos e empresas especializadas em sementes de milho. As inscrições para participar do Dia de Campo de Milho serão feitas no dia do evento.

 

Segundo o pesquisador científico e um dos organizadores do evento, Aildson Pereira Duarte o objetivo da atividade é difundir as tecnologias geradas pelas pesquisas, com a vantagem do agricultor acompanhar a prática do resultado do estudo. "O agricultor gosta muito desse tipo de abordagem porque se convence mais facilmente", argumenta Duarte.

 

Na programação do Dia de Campo de Milho estão previstas as palestras "Câmara Setorial do Milho - Mercado do Milho" (Dr. Alfredo Tsunechiro - Instituto de Economia Agrícola/APTA); "Principais Doenças do Milho" (Dr.ª Gisele Fantin - Instituto Biológico/APTA); "População de plantas e adubação nitrogenada" (Dr. Aildson Pereira Duarte – APTA Regional do Médio Paranapanema).

 

Pólo de Pesquisas

A APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – existe desde 2000 e atualmente está sob a coordenação de Luis Fernando Ceribelle Madi. A APTA tem como finalidade gerar, adaptar e difundir conhecimento para o desenvolvimento sustentável da pesquisa pública nesse segmento estratégico da economia paulista e nacional.

 

Na APTA trabalham pesquisadores que estão divididos em seis unidades de pesquisas, Instituto Agronômico, Instituto Biológico, Instituto de Economia Agrícola, Instituto de Pesca, Instituto de Zootecnia e Instituto de Tecnologia de Alimentos e o Departamento de Descentralização e Desenvolvimento (DDD). Todo o contingente de pesquisadores corresponde a mais de um terço do quadro que integra o Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária (SNPA), tendo ainda 64 unidades experimentais regionais, 43 laboratórios de pesquisa, consistindo numa instituição de pesquisa que insere-se entre as duas mais importantes do Hemisfério Sul, com várias de suas unidades sendo centros internacionais de referência em suas especialidades.

 

Numa nova abordagem do desenvolvimento regional, a APTA criou os Pólos Regionais de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios em 15 pontos estratégicos localizados nas diversas regiões do Estado para atuarem com foco nos problemas das cadeias de produção locais. A mudança fundamental consiste no fato de que o foco da pesquisa deixa de ser os experimentos em si e passa a ser a realidade regional.

Notícias por Ano