APTA REGIONAL E CATI PREPARAM PUBLICAÇÃO DE MANUAL DE PISCICULTURA

Em breve, será publicado um Manual de Piscicultura, fruto de parceria entre a APTA Regional e a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), ambas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os capítulos do Manual, que se encontra em fase final de editoração no Centro de Comunicação Rural (CECOR/CATI), foram redigidos por pesquisadores da APTA Regional e do Instituto de Pesca (IP-APTA). 

O Manual foi um dos principais resultados do curso de capacitação e atualização para “Criação de peixes em viveiros escavados e tanques-rede”, realizado em setembro/novembro de 2010 em Assis, como resultado da parceria APTA Regional – CATI. Parceria “há muito tempo almejada”, como definem os pesquisadores Daercy Mª M. de Rezende Ayroza e Luiz Marques da Silva Ayroza, do Polo Médio Paranapanema. piscicultura noticia 20062011

Participaram do curso, no auditório do Polo Médio Paranapanema, 40 técnicos da CATI dos diferentes Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) do Estado. O evento proporcionou a interação entre os pesquisadores da APTA e os técnicos da CATI, dizem Daercy e Luiz Marques. O curso foi ministrado por profissionais dos Polos Regionais do Médio Paranapanema, Leste Paulista e Noroeste Paulista e do Instituto de Pesca, que abordaram diversas etapas da cadeia de produção do pescado.

O evento de alto nível propiciou uma grande troca de informações entre extensão e pesquisa, observam Daercy e Luiz Marques. “A transferência de conhecimento científico e tecnológico para o agronegócio é um processo dinâmico, que tem início na geração da informação e torna-se efetivo com a adoção desse conhecimento pelo produtor rural.”

A transferência das informações da pesquisa para a extensão assume parte importante nesta dinâmica, como um dos mecanismos utilizados pelo pesquisador para a difusão do conhecimento, prosseguem Daercy e Luiz Marques. “Cabe à extensão levar os ensinamentos diretamente ao produtor, de forma sistematizada, possibilitando-lhe o aumento de produção e produtividade, o que implica no aumento de renda e de qualidade de vida.”

Assim, esta ação caracteriza bem a vontade de integração do órgão regional de pesquisa com a assistência técnica, concluem Daercy e Luiz Marques. Isto “possibilitará o desenvolvimento da aquicultura paulista dentro de preceitos da preservação no meio ambiente e da inclusão dos agricultores familiares e das comunidades tradicionais no processo de desenvolvimento”.

 

Assessoria de Comunicação da APTA

José Venâncio de Resende

(11) 5067-0424

 

 

Notícias por Ano

Notícias por Polos