APTA REGIONAL: DIRETOR DA FAPESP FALA SOBRE O FUTURO DA CIÊNCIA NO BRASIL

12/09/2006

O físico Carlos Henrique de Brito Cruz, atual diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), concedeu entrevista à Revista VEJA, e abordou importantes temas sobre os caminhos da ciência no Brasil. Brito alertou para os problemas de falta de competitividade que o Brasil pode sofrer em breve, por não investir em inovação tecnológica, pela disparidade entre o número de pesquisadores que atuam nas universidades (70%) e na iniciativa privada, apenas 30%.

 

“Todos os países que construíram uma agenda de desenvolvimento baseada no conhecimento têm distribuição oposta a essa. Nos Estados Unidos e no Japão, a relação é inversa: apenas 20% dos pesquisadores estão na universidade e os outros 80%, nas empresas”, argumentou.

 

Para Brito, o problema não está na quantidade de doutores formados por ano no Brasil – atualmente são 10 mil pessoas – mas sim, no perfil, pois o Brasil forma poucos doutores em engenharia e ciências naturais, áreas importantes para o incremento da inovação, segundo Brito.

 

Uma saída apontada por Brito para mudar o futuro da ciência no Brasil é incentivar a inovação e atrair mais pesquisadores para a indústria, abrir o mercado mundial para o País, e contar com a participação do Estado para realizar um conjunto de ações para estimular as empresas em investirem em tecnologia.

 

Leia a entrevista completa que o físico concedeu à revista no site www.revistaveja.com.br

 

 

 

Texto produzido pela Assessoria de Comunicação

comunicacao@aptaregional.sp.gov.br

Priscila Tescaro - jornalista

(19) 3743-1698

Notícias por Ano

Notícias por Polos